A MEDICINA DO PRAZER.


                                         


                                                                




Conheci uma boa médica. Até pensei que fosse muito esparadrapo para o meu curativo. Conversa vai, conversa vem e já estávamos no seu apartamento. 
Trocou o elegante jaleco de linho branco por uma sedutora lingerie preta. Desfez-se do estetoscópio. Um som, pouca luz e uma atmosfera propícia para uma demorada consulta.
 Que corpanzil. Não era grande. Era perfeito! Oh, o amor é lindo! Este é o tipo de mulher que jamais se preocupa se os homens irão ou não propiciar-lhes generosas e demoradas carícias,ao contrário de muitas outras que, chegam a fazer até passeatas em vias públicas, levando multidões a Praça da Sé ou a Candelária em comícios feminista pró-preliminares.
Aquele mulherão sabe que ninguém irá poupar-lhe uma extenuante preliminar. Seria o mesmo que pescar sem anzol. Coloquei-me a seus pés com humildade e o menor vestígio de machismo. Exorcizei qualquer possibilidade de ejaculação precoce, mantendo a ideia fixa na imagem do Paulo Maluf, nu na cadeia, dizendo-se inocente.
No entanto, durante uma das minhas mais irretorquíveis performances e uma empolgação de deixar comissão de frente de escola de samba com inveja, ouço um sussurrar rouco e quente, que dizia:
- Explore mais meus corpúsculos de Meissener. Não entre em estado de detumescência. Coisa gostosa! Hoje não vou ter dispareunia. Como é lindo o seu membro. Nenhum vestígio de doença de Peyronie.
                                                                     




-Epa! O que está acontecendo?- Inquiri, abandonando o parque de diversões.
-Amor, não pare - insistia.
-Já parei! - disse.
Olhamos demoradamente, um nos olhos do outro. Seu rosto era um misto de decepção e culpa. Lágrimas verteram de o seu verde olhar. Sua beleza então se tornou mais exuberante e sofrida. Resolvi partir para o diálogo:
-Você falou sobre doença de Peyronie no meu membro?
-Desculpe, eu estraguei tudo;
-Eu tenho ou não, este troço no meu membro?
- Não. Eu disse que era lindo e não tinha nenhum vestígio;
-E porque você falou nisso, logo naquela hora?
- Em geral os homens apresentam sempre alguma nuance da doença de Peyronie no membro;
-Mas que diabo é isso? Se não tenho, porque precisava falar. É alguma tara?



-Uma besteira. Desculpe.
-Agora explica o que é isso.
-Depois. Vamos continuar...
-Não. Que doença que eu não tenho e você falou, gratuitamente?
-É a fibrose da membrana albugínea que reveste o corpo cavernoso, determinando uma curvatura do eixo do pênis.
-Curvatura do eixo do pênis?
-Amor, o pênis fica torto para um dos lados e meio curvado...
-Parece que bateu de frente? Fica com a carroceria fora do centro e andando de lado (risos);
-Seu bobinho. Dá para quebrar o galho Até operar;
- Ainda bem. Dá para fazer uma lanternagem. E a tal da detumetendo?
-Não é detumetento (?) (mais risos).
-Você falou no meu ouvido para que eu não entrasse em estado de detumetendo;
-Estado de detumescência!
-E daí? Eu tô no maior rala e rola, querendo nota dez na performance e de repente você enfia esta coisa no meu ouvido;
- Foi mal!
-Dá pra explicar?
Detumescência e a redução da inchação dos corpos cavernosos, quando o pênis retorna à condição de flacidez.
-Amolece?
-É;
-Você notou que eu estava broxando?
-Não, pelo contrário...
-Então porque falou?
-É esse vicio de análise diagnóstica;


-Você quando tira o jaleco, deve também tirar da cabeça estas coisas. E depois aquele tal de corpúsculos...
-De Meissner?
-E eu com isso?
-Eu pedia que você explorasse bem meus corpúsculos de Meissner. São corpúslos da pele responsáveis pela percepção do tato...
-Porque não pediu em português normal: amassa, morde,arregaça, vai fundo...
-Pois é, estava tão gostoso, meu amor. Você realmente caprichava naquelas preliminares que nós adoramos. Aí estraguei tudo, com aquele palavreado que lhe assustou. Esquece.
-Ainda não. Você fala estes tsunamis no meu ouvido, agora explica, pois, soou como um soco na minha trompa de Eustáquio.
Dispareunia é quando a mulher na hora do coito sente dor.
- Dor?
-É uma doença. Eu disse que não ia sentir dispareunia desta vez.
-Ainda bem, afinal nós viemos aqui para sentir prazer ou dispareunia?
-Pois é agora vamos voltar para aquelas maravilhosas preliminares que você estava me proporcionando seu desbravador. Só falta o ponto G!
-Tudo bem, mas lhe peço um favor doutora, em homenagem a Hipócrates, fica só gemendo. Tá certo?
 -Prometo!

O DRAMA DE LORBERTO.



Lorberto era destes homens que vivia marcado pelas inevitabilidades das suas ações improváveis e que, nunca davam certo.
Antes de começar já parava, nem queria saber o resultado real, pois, na sua mente atrofiada por uma inferioridade injustificada, o pão com manteiga dele, iria sempre cair no chão e com a manteiga para baixo!
Andou lendo dezenas de livros de auto-ajuda, mas descobriu que, o ajudado era sempre quem vendia os livros. Partiu para as videntes, cartomantes,jogadoras de tarô e tantas outras cartas,e nada!


Lorberto queria somente uma mulher, este era o simplório e inalcançável sonho dele, enquanto, os seus amigos de tantas que as tinham e as chateavam, viviam querendo era livrar-se delas. 
Isso para ele só reforçava sua pequenez enquanto um macho incapaz de prover uma mulher que lhe desse carinho, atenções, beijos múltiplos e diversificados e até eventualmente, pensava poder presentear-lhes com mimos ou quantias muitas vezes superiores a que elas precisariam para voltar de táxi para casa.
Estava disposto a deixar crescer ou raspar a barba, usar costeleta ou não, cabelos compridos ou bem curtinhos, e quem sabe até, se elas quisessem,exigissem ou gostassem, poderia colocar uns penduricalhos e piercings nas sobrancelhas, língua, lábios, umbigo e o escambau.Qualquer coisa!


Faria até tatuagens de borboletinhas nas virilhas e pensaria em escrever o nome dela na nuca. 
Na nuca, ele nunca explicou a razão.
Se ficasse ridículo azar! Antes ridículo todo enfeitado e pintado do que de cara limpa e sozinho.
Na verdade os problemas de Lorberto não estavam fora dele e sim, dentro.
Na tentativa de saber se as mulheres gostavam de membros pequenos , médios, grandes ou descomunais, pesquisou em vários estudos disponíveis,como vídeos pornográficos e olhava para o seu instrumento de trabalho comparando. O seu era sempre visto muito menor, mirrado, acanhado, sem aquele vigor que, segundo ele, os performáticos artistas de sexo explicito, demonstravam. 
Mas, nada disso era verdade, apenas percepções distorcidas,visões menores provocados pelos seus complexos infinitos de insegurança e inferioridade.


Um dia conversando com um amigo pegador, profissional na arte do relacionamento, destes que arrastavam mulheres pelos cabelos e que fazia uma inveja incrível a ele, resolveu contar-lhe seu drama com o sexo oposto e prontamente o mestre ouvinte predador e caçador emérito lhe deu a solução:
- Cara, entra firme na mulherada! Diz mesmo com o coração aberto que você é um merda, só faz merda, vive nesta merda de solidão, porque tem uma personalidade de merda. Seja verdadeiro,mulher gosta de sinceridade - disparou o conselheiro e amigo.
Lorberto ficou olhando atentamente para ele e sem falar nada, pensou que, ontem mesmo tinha falado sobre todas aquelas suas merdas para uma gostosa que lhe disse muito amigavelmente, e cheia de ternura:
-Querido, desculpe, mais o meu banheiro já está ocupado!






MORTOS VIVOS OU ACABOU A PUTARIA.

                                   (DESESPERADA EDIÇÃO ESPECIAL)







Nestes tempos bicudos que estamos vivendo que, premia e saúda as mais descaradas inversões dos valores morais, éticos e culturais embrulhando tudo neste pacote dissimulado de  desfaçatez macabra dos comportamentos erroneamente enaltecidos como "politicamente correto" para lhes dar a validade cínica,andamos morrendo em vida. Para aqueles que sempre viram a morte como uma ritual de coroas com faixas roxas e dizeres pouco criativos de "descanse em paz" bordados em cor de ouro mais falso do que aqueles que desejam,estão agora acordando mortos em vida e sempre pensando qual o novo país que irão escolher para encontrarem a felicidade. Seria no Canadá do turismo da maconha , verdadeira geladeira de emoções e vida vivida em passagens subterrâneas ou Portugal com os seus tradicionais problemas e limitadas ofertas para o imigrante? A opção seria os "states",Nova York com a fantasiosa Broadway dos shows espetaculares do dia-a-dia? O novos mortos -vivos brasileiros amantes despudorados da cultura alienada e marca registrada daqueles que detestam o samba, a cultura nacional e o Brasil e se jogam de cabeça, narizes e veias no mundo incerto e curto do rock, sexo e drogas. O pobres do Brasil querem ficar e restabelecer um país melhor, mas nossas classes médias altas e elites, sem generalizar é claro, mas que na sua maioria assaltaram ontem, continuam assaltando hoje  e já tinham planos para o futuro de continuarem a assaltar os cofres públicos com a mão grande insaciável e implodindo vergonhosamente empresas, bancos,frigorificos e o escambau e já,agora, empanturrados do nosso dinheiro roubado na nossa cara, esses sim , atualmente apavorados como nunca , querem fugir da violência que reina entre nós que eles próprios edificaram e fizeram artificies principais a cada nova  empresa que faliam , a cada nova mansão, a cada novo iate , a cada nova fortuna que acumulavam fruto da indecência financeira que por aqui plantaram.Esses novos mortos - vivos acordam a cada dia com dúvidas cruéis de para onde irão! E data vênia devem agora e mais do que nunca abandonarem este país que eles sempre odiaram, este Brasil do qual sempre se envergonharam pois, sempre viveram aqui desavergonhadamente roubando a seringa do hospital, o salário do professor, criando as condições para que a violência se espalhasse e que, agora estão vendo a violência que criaram pela injustiça social que disseminaram, entrar nos seus luxuosos condomínios erguidos com o dinheiro,sangue e suor subtraídos do povo trabalhador deste país. Pelo andar da carruagem e sem nenhuma análise politica partidária apenas, vendo a estrada que se está sendo pavimentada pelos novos dirigentes deste país, tudo leva a crer que a acabou a putaria.Estamos começando a ver, escutar e de forma ainda tímida o patriotismo aflorar na consciência e no coração dos brasileiros, estamos ensaiando e dando os primeiros passos para que a cultura brasileira seja prioridade e que o trabalho vença a putaria financeira dos conhecidos ladravazes, a moral seja a cristã,a ética não seja subvertida para encobrir a putaria escandalosa e como nunca jamais vista neste país de condutas familiares tão destroçadas e cujos princípios básicos da autoridade foram para o brejo e tudo em nome de uma "modernidade" que enaltece a putaria do dinheiro fácil e cada vez mais, em todos os planos da sociedade brasileira e nos transformaram numa imensa casa de troca-troca que os franceses chamam de rendez-vous! Se estiver enganado e este andar desta carruagem for igual a da Cinderela que a meia -noite voltará a ser uma abóbora, não serei eu que terei perdido sozinho e sim, a nação brasileira.

OPA, SEXO ORAL!!!







Petrucio Delirio era destes homens que, quando não estava pensando em sexo , estava fazendo.
Casado com Angélica vivia uma vida de poucos amigos com a senhora sua esposa, exatamente porque , neste particular ela tinha ainda em pleno limiar do terceiro milênio , muitos preconceitos e uma absoluta má vontade por isto que chamamos de atividade sexual, sendo mais modesta neste quesito do que um carro 1.0 , ano de fabricação 1979.
E Petrucio Delírio precisava muito, pois era movido a reações libidinosas diuturnas e masturbava-se, masturbava-se e masturbava-se...culpando a Angélica por ser aquela rosa despetalada sem vida e muito menos, nenhum vestígio de tesão.


Era, apesar de tudo e por incrível que pareça, fiel à sua mulher- iceberg o que contrariava duplamente todas as teses existentes sobre a matéria pois, homem seja ele qual for, tem um grau de fidelidade ao casamento praticamente nulo , mesmo sendo atendido sexualmente, agora imagine, aquele que nem sexo faz?
O cara andava desesperado pelos cantos e sempre tentando encontrar meios que pudessem fazer com que Angélica, quebrasse um galho e lhe tirasse do sufoco.
E até que um dia resolver partir para soluções intermediárias , uma espécie de nem muito pra lá, nem muito prá cá e propôs para a Angélica:
-Está bem minha filha, você confessa que não gosta de sexo e se eu quiser posso ir embora.Você é honesta e me avisou que perdeu o interesse por se deixar penetrar que se sente a última das mulheres quando isso acontece, então que tal só fazer sexo oral daqui pra frente?


Angélica olhou dentro dos olhos de Petrucio Delírio e respondeu:
-Sexo oral, é isso?Você quer que eu faça sexo oral com você e aí ficará satisfeito?
-Isso Angélica, só isso, pode?
-Posso, vamos começar: Você está por cima eu por baixo, gemendo e gritando de prazer. Agora fico de quatro, pareço uma louca querendo e pedindo tudo e mais alguma coisa, e depois, peço tapinhas de amor e você manda ver e agora peço sua língua, seus beijos e quero ser toda mordida, chupada e molhada por você meu macho louco de tesão.
Nossa, é um orgasmo atrás do outro...
-Angélica, você enlouqueceu? Vem aqui gostosa, fazer um sexo oral com seu Patrucinho...
-Já estou fazendo, aproveita ! Não é sexo oral que você pediu? Aproveita, vai nessa , vai pois, já estou falando,falando,falando. Não é sexo oral que você queria? Ou, também, não sabe nem o que quer?



PRESENTINHO?



-‘Seu’ pão duro, enfia este presentinho no...
-Olha, não fala palavrão malcriada- impede o companheiro que sua mulher desça a ladeira.
-Como não falar palavrão!No dia do meu aniversário você me dá esta porcaria de sandália de terceira categoria que já vem até com chulé.
-É só um presentinho meu amor e você é muito ingrata sabia?
-Ah, eu sou ingrata e é você fica exigindo que eu tenha um corpão, um coxão, um bundão, um bocão e tudo muito bem trabalhado na academia e o escambau e agora me trás um “presentinho”. Diminutivos só pra mim, para você o gostosão da casa, tudo o de melhor, não é assim?
-Querida...
-Querido é o cacete- interrompe aquela mulher possessa e sentindo a ingratidão e a falta de carinho na carne, carne que seu maridão come feito churrasco de fim de semana!
-Quando nós éramos namorados você dizia que até um palito de fósforo dado com amor valia à pena e mudou de repente?-  tenta consertar o idiota.
-Mudei nada, você é que mudou. Antes eram carinhos de manhã de tarde e de noite, babação, me agarrava no quarto , na cozinha, no banheiro, chegou ao absurdo de querer fazer amor comigo dentro do elevador , até apertou o botão de emergência, eu é que não deixei, seu desprezível.
-Desprezível?
-É no mínimo! E quer saber de uma coisa? Há dois meses você não me procura na cama. Está com muitas na rua, não é seu safado?
-Como não procuro? Dormimos todas as noites juntos, queridinha.
-Isso mesmo: dormimos , dormimos,dormimos e só! Seu broxa de uma figa.
-Está bem meu amor, vou então pedir uma pizza pra nós.
-Pizza? Pra nós? O aniversário é meu seu faminto e ainda quer aproveitar a data do meu aniversário para matar esta sua maldita fome incontrolável?
-Está bem querida eu peço duas. Uma pra cada um.
-Não me provoca, por favor, não me provoca goela faminta.Deixa eu ficar aqui no meu canto sossegada.
-Mas, amor eu te amo...
-Ama, ama muito, e me trás esta meleca de sandália de 1,99
-Nossa, eu nunca pensei que você era tão sem graça, assim.
-Nem eu “seu” pançudo.E com esta barriga há quanto tempo você não vê seu pinto?
-O quê?
-Isso mesmo, você não o vê e esquece, mas eu preciso muito mais do que uma sandália fedida, eu quero é umas boas chineladas de muito amor, quero subir pelas paredes, abrir a janela e gritar que sou feliz...
-Querida, não faça isso, lá fora ta um temporal danado e se abrir a janela,vai estragar a pintura da parede...
-Paaaaaaaaaaara, seu maldito!



SEXO OU FUTEBOL?

                                                                         




Algumas coisas decididamente não combinam com sexo.
Enxaqueca, dívidas impagáveis, cachorro latindo na porta do quarto, vizinho brigando, calor carioca de quarenta graus acompanhado de forma sinistra por falta de energia elétrica e, na hora do futebol.Não inventa que vai se dar mal. Mas, como diz o velho ditado: "Cada cabeça, uma sentença", vamos aos fatos:
-Querida chega mais - diz o parceiro com cara de carente.
-Pois sim! De jeito nenhum, o jogo da seleção está começando e você só quer fazer um gol rapidinho, e eu? - corta totalmente o barato, aquela mulher que apesar de nunca ter usado chuteiras, sabe como dar um bico na canela do adversário!
-Que seleção, meu amor.Estou afim é de dar uma goleada nesta sua defesa - insisti.
-Nada disso. Mesmo sem futebol a sua bola está cada vez mais murcha, imagine com a seleção brasileira jogando! Foguetório e gritaria lá fora.Apaga este facho, homem.Depois do jogo a gente coloca nosso time em campo.
No entanto, a sabedoria daquela mulher é atropelada pelo touro no cio que vai até a sala, e empurra a televisão até o quarto. Liga e se esparrama na cama, como um sultão à espera do seu harém.
-Coisa mais chata - reclama a mulher -com você tem que ser tudo na hora que você quer!
-Não é isso meu amor, entre você e a seleção, não penso duas vezes.
-Lógico, fica com o jogo da seleção!
Conversas à parte, os dois já estão literalmente deitados e se enrolando no campo das grandes decisões amorosas. A mulher então, pede para desligar a televisão e o cara não permite. Ele diz quer escutar a hora que vai sair o gol.Ela de forma sábia retruca que:
-É sai o gol e eu entro pelo cano.Se for para escutar, liga então o rádio.
Na verdade o que ela quer ter, e merece, é a atenção do macho predador, pelo menos nesta hora.
Como toda mulher, quer ter preliminares prolongadas, para entrar no clima do jogo absolutamente, aquecida.Não dá certo fazer sexo com a seleção jogando.Mas, está bem ela perdeu, então vamos aos jogos, pensa ela.Seu companheiro está um pouco gordo e, por isto sempre pede para que ela facilite aquele maravilhoso evento carnal, ficando por cima da situação.
Kama Sutra descreve esta posição como sendo a do Par de Tenazez: O homem fica deitado de costas e a mulher montada nele, de frente...Só que naquela época não tinha televisão!
Com plena visão do jogo na televisão, o apressadinho machão, começa então o rala e rola e coisas surpreendentes acontecem em campo e na cama.
Acabados os dois jogos ela então comenta ambos, para o marido:
-Quando a seleção perdeu o pênalti, você cravou as unhas nas minhas costas, seu safado!Olha como estou toda aranhada.
-Mas, amor...
- Cala a boca.Eu fiz o que você queria, agora vou comentar os dois jogos.Ainda no começo do primeiro tempo o Brasil perdeu outro gol cara a cara, e você ficou completamente sem bateria.Se fosse uma lanterna não acenderia, um celular não falaria...
-Não eu apenas estava arrumando, realinhando, reposicionando...
-Broxando, isto sim - diagnosticou - E tem mais, muito mais, pois você nunca gostou deste negócio de tapinha de amor não dói, e levei praticamente, um soco nos peitos quando o Brasil tomou o primeiro gol.Olha aqui como está tudo roxo!
-Querida...
-Querida é o cassete! Não foi por falta de aviso.Ou a gente faz amor ou vê futebol.
Irritado e desmoralizado o cara parte para ofensiva:
-Ah é, muito bem.E como é que você sabe que aquilo foi naquela hora do jogo, e aquilo outro no outro momento da partida? Você é uma mentirosa.Tá vendo!
-Mentirosa, não, eu também estava vendo o jogo pelo espelho em cima da cama seu idiota! O que é pior foi você ficar gritando feito um louco: vai, vai, vai...
-Você sabe que eu tenho a mania de ficar repetindo isto, quando a gente está transando...
-Eu sei, só que meu nome não é ROBINHO!!!