DA TROMPA DE ESTÁQUIO À TROMPA DE FALÓPIO,OU SIMPLESMENTE BOLERO.




Quando a dança era sensual e romântica, os casais tinham a oportunidade de conversarem durante, por exemplo, um bolero.

Eram ritmos mais calientes e hora de haver uma comunicação efetiva e muito produtiva, pois o casal conseguia trocar frases de amor, tendo o ouvido externo como embocadura e a Trompa de Eustáquio, para dar passagem aos seus roucos, quentes e molhadas súplicas de paixão. Vamos explicar primeiro, para àqueles mais jovens e adeptos de ritmos mais agitados, como os funk da consagrada artista pátria: Tati Quebra barraco ou o funkeiro internacional: Lacraia, como é que se dançava bolero,

O bolero era dançado, com os corpos coladíssimos e cabia ao homem experiente, dar as chamadas “paradinhas”, muito comuns neste ritmo, e concomitantemente, enfiar uma das suas coxas entre as coxas da parceira.

Uma beleza!

Além desta enfiada de coxa, o homem dava-lhe uma suave empurrada para trás, apoiando-lhe carinhosamente, entre as pernas o que tornavava aquela “paradinha” um verdadeiro encontro entre as águas de um rio com as do oceano, fenômeno este conhecido como: Pororoca. Uma delicia!

Obviamente. Apesar de naquela época os homens usarem “suporte”, que como o próprio nome induz, suportava o crescimento do seu membro, além da cueca que eram todas" samba canção", mas mesmo assim, o aumento do volume na calça do homem era evidente.
Um constrangimento!

Pior era quando ele não usava o tal suporte nas partes baixas, então a música acabava, a dama o deixava, e às vezes para não ser pilhado em fragrante delito, o homem tinha que se sentar no meio do salão ou fingir que era aleijado, saindo quase abaixado do campo de batalha.



Desempenho de um experiente ator.
Principalmente – e este era o eterno perigo - se os familiares da moçoila estivessem admirando os dois meigos pombinhos e seus passos angelicais.

Nestas situações, sempre havia uma tia feia e maldita, para chamar a atenção dos pais da moça que o cara estava com o pênis ereto.

Às vezes havia um conflito e pancadaria generalizada, com cadeiras voando e palavras de baixos calões que, nem nas maiores torcidas do futebol brasileiro, costumamos ouvir.

Eram nestes episódios inenarráveis que a trompa de Eustáquio durante todo o tempo assimilava aqueles quentes gemidos masculinos e frases de amor repentinas que, efetivamente, eram quase declarações para uma cópula iminente e, lógico ,por mais contida que fosse a dama, sempre repercutia lá na Trompa de Falópio dela.

Eram tempos muito emocionantes, imemoriais e inesquecíveis!

Na modernidade, com estas danças que parecem corridas de cem metros, nas quais ,os casais na maioria das vezes começam juntos, naquela noite romântica, e só se encontram no dia seguinte,pois são tragados pela multidão ao som de bate-estaca.

As funções sensuais das Trompas de Eustáquio e da Trompa de Falópio eram também, muito valorizadas, pois além de sussurros quentes no ouvido, o casal ,quando o salão estava muito cheio, ia dançar bem lá no meio, longe das mesas que circundavam a pista e, então, ardentes beijos na boca eram dados, às vezes tão demorados, e com tantas "paradinhas" e mexidinhas que os cavalheiros começavam a tremer, como que estrebuchando, as pernas bambeando, sossegando em seguida, como se tivesse “aliviado”, daquele estresse libidinoso.
E, realmente estava!
A dama é que ficava um pouco contrariada.

Porém para sai r dali, os homens tinham, novamente grandes dificuldades e fingiam que derramaram algum liquido tipo cerveja ou cuba libre na altura do seu instrumento de trabalho, em face da evidente implosão ejaculatória masculina, acometida, durante aquele quiproquó dançante.

Como era romântico!

Quase que eu fiz medicina, no entanto, avaliei melhor e achei que ser ator era uma profissão mais apropriada, em função das minhas performances e experiências adquiridas como assíduo freqüentador dos bailes, onde só tocavam boleros.

"Bésame, bésame mucho,

Como si fuera esta noche la última vez..."

34 comentários:

  1. Adorei rsrsrrs muito divertido o seu texto...
    Mas tenho que ser sincera, pelo menos pra mim, não tem dança mais sensual que Tango e Bolero...parece que vai rolar uma pegação logo apos a dança rsrss adoro isso!

    ResponderExcluir
  2. Adorei a relação que você fez da Trompa do Falópio com a Trompa de Eustáquio. Realmente a ligação entre uma e outra em um bolero ou um tango caliente é mais do que entendida. Sinto saudades de uma época que nem vivi.

    Mas a Trompa de Eustáquio perdeu sua importância para o casal entre créus e rebolations da vida.

    Aliás, para mim, ela ainda está a espera de sussuros desconcertantes advindos de um bom moço de família em uma dança candidamente sensual.

    Utopia??Talvez...

    Parabens pelo texto.

    ResponderExcluir
  3. Você é demais amigo! Divertido demais! Adoro seus textos hilariantes, não aproveitei essa época,mas, pretendo fazer isso agora. Vou entrar na dança de salão só pra ver(sentir)essa delícia! rs.. Monte de bjs e abraços mil de Feliz Páscoa!

    ResponderExcluir
  4. Maravilhoso
    Aproveito e passo pra desejar uma feliz pascoa e para te convidar a entrar na campanha de pascoa alimente a ursinha com chocolate ou substitua com velas ou agulhas ....
    bjs de mel
    ursinha

    ResponderExcluir
  5. Bem realemnte não era do meu tempo,rsrsrsrs...porem não sou adpta ao funck, acho q bolero deveria ser muito melhor...
    beijos e feliz pascoa

    ResponderExcluir
  6. gostei muito do blog, textos engraçados e inteligentes, estou seguindo. Bjs e feliz Páscoa

    ResponderExcluir
  7. Tempo bom né Paulo??
    Nossa... como era bom isto.
    Amigo, temos muitas coisas boas para contar nesta vida, não?? E viver támbem, poque não?
    Se sabemos porque praticamos, porque então não ensinar? Assim como voce está fazendo neste texto com humor, mas com uma riqueza de detalhes e muita clareza.
    Feliz Pascoa Don Juan dos blogs :)
    Beijão menino.

    ResponderExcluir
  8. Ótimo. E por que não agora? Basta querer e conquistar alguém que também o queria! Adorei, Paulinho!
    Beijos
    Renata
    *********

    Recado
    Poema da Renata

    eu mandei um recado
    e nele estava escrito isto
    não estou disponível nas praças
    ou nas placas de sinalização
    não estou na algazarra dos protestos
    ou nos gritos de gente enlouquecida
    e a bandeira que levanto ninguém olha
    por isso não me acham, se procuram
    ou esquecem ou ignoram
    são tão broncos que adoram
    a beleza que traz guerra
    não enxergam que estou perto
    vestido de branco, esperando
    mas ninguém encontra fácil
    um simples acordo de paz

    Até +++++

    ResponderExcluir
  9. Seus textos são ótimos, Paulo. Pois é, infelizmente não cheguei a viver essa época de dançar coladinho, mas um de meus projetos futuros é entrar num curso de dança de salão. Samba de gafieira, bolero, valsa, etc, mas há coisa mais bela e sensual do que o tango? Acho lindíssimo (deve ser o sangue espanhol falando alto) rs

    Besos (em espanhol, é claro) e feliz páscoa.

    ResponderExcluir
  10. Oi Paulo
    Muito bom e obrigada pela visita
    Uma feliz pascoa
    Bjs
    Lu

    ResponderExcluir
  11. Nossa... Achei o máximo...
    haha.. Que bacana isso!!
    Com certeza fazer sexo era bem melhor...

    Adoroo seu blogg....

    Uma ótima semana pra ti!

    ResponderExcluir
  12. Que sensual, LOl, devia ser bem bom =)mas como sempre a dama ficava a perder =(

    ResponderExcluir
  13. Prazer em conhece-lo Paulo, seus textos são deliciosos e resgatam os tempos românticos de outrora..contemporânea em idade, tenho boas saudades dos bailes, onde o chá de cadeira era inevitável, pois uma "dama" nunca dançava sózinha...Grata pela tua visita ao meu jardim florido, volte que sempre haverão novas flores poéticas. Uma semana de boas realizaçoes e alegria no coração. Carinhosamente, guida

    ResponderExcluir
  14. Atenção para estas duas postagens da AMAPOLA E DO CASTANHEIRA, que o BLOGGER, á revelia da lógica resolver colocar, em outra postagem.

    AMAPOLA disse...

    Bom dia, Paulo.
    Obrigada pela visita.
    Li tudo... é uma verdadeira reportagem sobre a transição sexual da mulher.
    Acho que qualquer grande conquista, como foi a liberdade feminina, gera comportamentos radicais, da memória.
    Tem aquele ditado: Quem nunca comeu melado, quando come, se lambuza.
    Isso aconteceu com a mulher, que, de submissa, se viu liberada, já com o apoio da pílula. Não conhecendo o homem direito, partiu para o ataque, assustando-o em vários aspectos.
    Parece que o ponto de equilíbrio vai demorar muito pra chegar, ou talvez nem chegue nunca, porque, o homem, também sem conhecer a alma feminina, confunde uma amizade bonita... de sentimentos nobres, como sendo um pedido de sexo.
    "Enquanto uma mulher procura a alma de um homem, para encontrar sentimentos nobres, ele vê nela, apenas o corpo, e uma vontade voraz do sexo, que na realidade, está na cabeça dele"
    Feliz páscoa. Um grande abraço.
    5 DE ABRIL DE 2010 04:40

    WCASTANHEIRA disse...

    Um belo conto, um saudoso texto, falar ao ouvido, morder suavemente, apertar um pouquinho mais uma perfumada orelhinha, encostar, roçar, sentir o calor, descer, descer a mão um pouquinho mais, uauauu era delicioso, muito dancei coladiiiinho, calça apertada, ficava doendo todo o conjunto, mas era delicioso, adorei, viajei, vc está d++++, um abraço gaúcho thcê, do tio CASTANHA
    5 DE ABRIL DE 2010 05:30

    ResponderExcluir
  15. Paulo,
    adoro seus textos!
    Brinco que dançar é beijar dos pés à cabeça.
    O bolero,então....é um beijo mais caliente.
    Beijos de bolero pra vc..rs!

    ResponderExcluir
  16. Cara, retribuindo a visita lá no Molhe-se. E rindo muito. De verdade, muito bom. Parabéns.

    Beeejo pra vc. Boa semana.

    ResponderExcluir
  17. Muito engraçado. Fiz 3 anos de dança de salão e não lembro de dançar bolero assim...heheh

    ResponderExcluir
  18. Adorei!
    Eu acho que deveria ter nascido em outra época... ODEIO a forma com que as coisas vão ficando cada vez mais banais e sem importância com o tempo.

    ;*

    ResponderExcluir
  19. Amei o texto... Ri demais!!! Os homens dão muita bandeira, mas isso é bom também!!!
    Vlw... Visite meu blog!!!
    Abraço,

    ResponderExcluir
  20. Realmente, era uma delícia dançar ao som de um bolero com as "Trompas" se comunicando.
    Eu sei que não dá pra conter a evolução, mas vejo com tristeza como os jovens de hoje estão perdidos, até porque não vivem essas emoções. A gente pode chamar isso de evolução???
    Agora, o que eu não imaginava é como vcs, homens, sofriam procurando manter o controle o tempo todo de algo que não dá pra controlar. Ô dó!!
    E o que é aquela foto do Lula arrumando o "instrumento de trabalho"? Fala sério! Só mesmo vc Paulo, pra desencavar uma foto dessas! ahahahah
    Bjusss

    ResponderExcluir
  21. Fantástico. Eu realmente não sou deste tempo. Quando eu comecei a curtir baladas, a coisa já não tinha mais volta, e hoje eu fico na minha e curto os meus Rocks da vida, que sempre termina nos braços de uma roqueira carente, que apesar do que tanto falam, são mulheres limpinhas, educadas e bem comportadas, apesar da roupa ser de extrema sensualidade. Delícia.

    Diferentemente...

    Daquelas malucas de baile funk. Prefiro nem comentar.

    Direto do Rio.
    Abração.

    ResponderExcluir
  22. Olá, Paulo!
    Agradeço a visita ao meu blog e principalmente o fato de ter gostado do meu espaço. Volte sempre, viu!

    Olha, realmente, já não se faz mais música e dança como antigamente...rs
    Hoje, esse primeiro estágio foi suprimido, acabando o encanto, e a galerinha agora já parte para os finalmente mesmo, tornando o clímax muito menos importante do que antes.
    Por isso o pessoal anda tão desencantado com amor, já não há conquista de fato.

    No mais,
    beijo no coração

    ResponderExcluir
  23. e ai cara obrigado pelo teu comentário
    Abraços Gaúcho hehehehe
    pode segui o meu blog lá

    ResponderExcluir
  24. Ui..

    Menino, vc está mui caliente....rsrsrsrs
    Quero um parceiro daqueles bem másculos para me levar a loucura kkkkkk

    Desculpe o sumiço....é que vou ser mamãe( virei moça séria kkk) e tô numa correriaaaaaa

    Mas ja voltei com tudo!

    bj

    ResponderExcluir
  25. Dançar é maravilhoso, ainda mais bem acompanhada. Texto legal.
    Vim retribuir a visita e o comentário tão divertido que vc deixou, morri de rir.
    Vc é muito bem humorado, isso é legal.
    Bjs! Lu

    ResponderExcluir
  26. Só faltou seguir meu blog né, dã! rsss

    ResponderExcluir
  27. que lindo o menininho de chichi nas calças... qe romantico o xixi dele..
    AUIHuaihAUIHauihUIAHIUah

    veiu.. ñ gosto muito de bolero, prefiro zuk...
    aqui em SSA tem um lugar que tem o nome de bolero.. preconceituosamente visto!
    =D

    ResponderExcluir
  28. Ola!
    Como é bom rever os amigos e matar a saudade..
    Não há nada que pague este momento..
    Hoje sai para visitar os meus amigos. Estou com muita saudades.
    Só terei os finais de semana para fazer isso. Mas prometo sempre estar por aqui..Peço desculpa pela minha ausencia. Mas, mas muitas vezes precisamos nos afastar em função do trabalho. Falta o tempo. ele voa..Não espera. Mas, você que mora no meu coração, será sempre lembrado...
    Amo vc. Amo a sua companhia.
    Meus blogs amam a sua presença. Fico muito feliz por que vem.. Deixa sempre comigo, o seu amor e carinho Planta flores e semeia carinho.
    Muito obrigada. VERDADEIROS AMIGOS..CONQUISTAMOS..AMAMOS..LEMBRAMOS E SENTIMOS SAUDADES!!!
    Carinhosamente,
    Sandra

    ResponderExcluir
  29. hehehe, seus textos sao divertidissimos. De todos os 3 blogs. Estou seguindo-os :D

    E obrigada pelo comentário :D
    Um beijo diretamente do nordeste, hehe :D :*

    ResponderExcluir
  30. Seu blog deveria virar livro rsss muito bom! Vc fez Ciencias sociais aonde?

    ResponderExcluir