ENTÃO,FICOU DIFÍCIL FAZER SEXO!

                                               
                    
Um carioca estava numa destas festinhas que todo mundo é sempre de alguém, se na hora o alguém esta afim de todo mundo. Complicou? Vou simplificar: Na verdade ninguém é de ninguém e tudo está junto e misturado. Se quiserem uma quase suruba.
E isso existe! O que não existe é mulher quase grávida, homem quase honesto, criança quase educada e marido quase fiel, mas, uma quase suruba, existe sim, pois é aquela festinha com uma explosiva possibilidade de desandar.
Lá dentro, uma lindíssima nordestina, mulher cabocla, morena dos seus vinte e poucos anos, cabelos negrissimos nos ombros, olhar grande de mulher gulosa, cheia de dentes na boca e tão brancos que até brilhavam, seios padrão para um pouquinho mais, um do lado do outro e olhando para cima, mais acesos que o Farol da barra na Bahia.

Coxão roliço e aparentemente macio sem aqueles músculos de mulher que malha muito exageradamente, transformando em perna de jogador de futebol. Enfeia o que é bonito, e o coxão marcava aquela saia de tecido fino. Atrás, aquelas montanhas perfeitas para serem escaladas, por alpinistas competentes, enfim um verdadeiro manjar dos deuses. E mais bonita que a sombra do seu próprio corpo!


Então aquele carioca, verdadeiro búfalo no cio, olhando para aquilo tudo, ataca:
-E aí, como você tem andado, lindona?
E a gostosa nordestina sem olhar para a cara do carioca responde seca e direta:
-Com as pernas seu abestado, ainda não aprendi a voar.
O carioca então metido a grande conquistador resolve tirar uma de carente sofrido e começa a simular um piripaque depois daquela grosseria, dizendo:
-Po delicinha, que fora você me deu, ta me dando até uma coisa aqui- e aponta para a boca do estomago com cara de quem pode morrer a qualquer instante.
- Se está dando, então receba - responde a nordestina gostosa.
-Mas é coisa ruim - reclama.
-Então devolva homi sem noção!


Sentindo que a primeira aproximação foi um desastre ele como um autentico brasileiro que, não desiste nunca volta a pensar naquele monte de areia, todinho na carroceria do seu caminhão e resolve mudar de assunto:
-Quer que eu traga um copo de caipirinha pra você?
-No copo?- retrucou a gostosa debochada do nordeste com aqueles olhos negros e lindos esbugalhados.
-É no copo – inocentemente, respondeu o galã das praias.
-Não, bota no chão mesmo e vem empurrando com um rodo, fi duma égua! – desembuchou a gostosa irritadiça.


Manda a regra número um de um xaveco que, quando a coisa não está dando no inicio,  vai dar muito menos no fim, e se não der que, graça tem? Concorda?Então é melhor procurar outra orelha para se distrair.
Uma mulher como esta e tão indigna como satanás em igreja de crente e ela costuma dizer que para ser amiga de um homem, ambos tem que comer uma saca de sal juntas.
O carioca, certamente não conseguiu nada, porque era hipertenso.
Aí não dava!

PS. Este texto foi inspirado em “SEU LUNGA”, de Cariri, Juazeiro do norte, considerado uma lenda viva daquele local e que, não suporta perguntas idiotas, nem gente moderna. Pesquisem no Google, sobre o "SEU LUNGA" é nordestino de 82 anos, uma figura extraordinária, considerado o homem mais mal humorado do Brasil.



4 comentários:

  1. Eita menino, adorei o texto e mais ainda essa cabocla de cabelo das ventas oxente!
    Xero no cangote meu bichim. Inté!

    ResponderExcluir
  2. Eita NÁDIA,

    falou que tem conhecimento destas caboclas do nosso nordeste querido e até , esquecido!
    Outro xero também e para variar um abração carioca.(rs)

    ResponderExcluir
  3. Com muito interesse seu texto!

    Maria Luísa

    ResponderExcluir
  4. MARIA LUISA,

    senti sua ausência, volte sempre!

    Um abração carioca.

    ResponderExcluir